Sabor de acerola


Hoje eu ri. Mas a noite não é minha.
Foi dela.

Quando a vi, meu corpo se inquietou. Teria tantas coisas para dizer a ela. A voz, no entanto, se embargou. 
Sem solução, chupei acerola e procurei nas sementes um sabor para mim.

03.06.99

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comida preferida dos orixás

Resenha do Livro "Preconceito Linguistico: o que é, como se faz?"

Ver com os olhos livres