Pular para o conteúdo principal

Postagens

Orlando Santos

Orlando Santos O entrevistado de hoje para fazer parte da seção O autor fala de sua obra é o artista plástico nascido na cidade de Porto Real do Colégio – Alagoas, mas radicado em Maceió Orlando Santos . A entrevista foi concedida via Whatsapp. Por onde anda, leva sempre em suas telas e palavras o amor que tem por sua terra natal. No ano de 2003 e 2004, contratado pelos governos municipal de Porto Real do Colégio e São Brás, ministrou a seguinte oficina: Descobrindo Talentos na cidade de Porto Real do Colégio . O objetivo dessas oficinas era resgatar talentos na cidade. Isso de fato aconteceu. Muitos foram revelados.   Como nascem suas telas?   [22:51, 08/09/2020] Orlando Santos Artista Plástico: Minhas obras são fruto da imaginação. Do talento e da inspiração que ora vaga num silêncio predominante que requer técnica e perícia funcional. A cada traço uma sinuosa forma que transforma a obra numa expressão linear e cúbica.    Do que elas falam ou repre

Dica de Autor - Edise

  A Edise é a Editora do Estado de Sergipe. Foi ela quem publicou o livro Laura. Livro lançado no Museu da Gente Sergipana em 2012. Por isso, a #DicaDeAutor daquela casa editorial. Por isso, foi selecionado para você, caro leitor, links que tratam dos livros de Ron Pem para que você conheça seus livros. Aí vai: Agonia Urbana; Laura; A menina das queimadas; O povo das águas; Foi só um olhar; Viu o home? ;  Porto Real do Colégio: História e Geografia. Saiba mais acessando o site oficial do autor: Site do Ron Perlim   Ron Perlim Projeto Leitura: A Arte de Contar História Centro Educacional Profº. Ernani F. Magalhães. Ano de 2019.  Porto Real do Colégio - Alagoas

Café Poético Sergipano

Em setembro de 2015 o escritor Ron Perlim participou do Café Poético Sergipano, idealizado e mantido pela professora e escritorea Cris Souza, em Aracaju, Sergipe. Naquela ocasião, concedeu entrevista para a TV Aperipê. Falou da importância da poesia. Como ela abre caminhos para a compreensão do outro, seus sentimentos e angústias. Encontros que enriquecem pelas experiências partilhadas. O autor também falou dos seus livros, especificamente sobre Laura , livro premiado no estado de Sergipe na categoria infantojuvenil e de seus novos projetos literários.

Foi Só um Olhar

1. Como nasceu o livro Foi só um olhar ? Certo dia, relendo a crônica Foi Só Um Olhar,    me veio a ideia de reunir essa e outras crônicas em um livro. São trinta e seis. Elas foram extraídas do Blogue do Ron Perlim, da I e II Seleta de Escritores Sergipanos, das antologias Ritmo Vital, Minicoletânea de Escritores Colegienses, da revista eletrônica Benfazeja e do Portal Escritores Alagoanos. E assim nasceu esse livro. 2.Do que esse livro fala? A violência é algo presente em nossas vidas o tempo todo. Por causa da imprensa, costumamos visualizar somente a violência física. No entanto, há outros tipos de  violência que acontece na convivência das pessoas que nem sempre é percebida. Exemplo desse tipo de violência sutil está nas crônicas  Historinha   e  A de sessenta . Quando o leitor adentrar no livro e se envolver em cada história, terá a mesma percepção que eu tive.

Porto Real do Colégio: História e Geografia

Ron Perlim e Márcio. Sec. Mun. de Educação de Porto Real do Colégio 02 de Junho de 2020. 1. Como nasceu o livro Porto Real do Colégio: História e Geografia? Este livro, adotado recentemente pela Secretaria Municipal de Porto Real do Colégio - Alagoas, originou-se do plano de aula dessa secretaria no ano de 2008 sob a coordenação da professora Josenice Pereira da Silva que fez uma análise técnica do livro e o indicou para fazer parte da matriz curricular a partir da 3ª śerie (4º ano) do Ensino Fundamental. Naquele ano, por razões políticas, o livro não foi adotado.  Esse livro, no ano de 2019, foi adotado pela Escola Santa Terezinha. 2. Do que fala esse livro? O próprio nome do livro diz respeito a História e Geografia do município de Porto Real do Colégio, nas Alagoas. Nele, ainda há um apêndice intitulado É bom saber! O conteúdo histórico fala da origem da cidade, as primeiras expedições, a colonização, o aldeamento e outros fatos relevantes que aconteceram na época. Quanto aos aspect

Toré:Som Sagrado

Como nasceu o seu fotolivro, Toré:Som Sagrado? O fotolivro Toré: Som Sagrado é um projeto que nasceu principalmente do desejo de conhecer mais sobre a cultura indígena dos Kariri-Xocó, da cidade de Porto Real do Colégio. Como colegiense, sempre ouvi muitas histórias sobre os índios, seus costumes e o ritual do Ouricuri. Todo esses elementos povoaram meu imaginário por longo tempo. Quando entrei no curso de Jornalismo, na Universidade Federal de Sergipe, e tive contato com alguns trabalhos da fotógrafa Cláudia Andujar, esse desejo voltou à tona. Encontrei no trabalho dela com os Yanomamis, elementos visuais que fugiam da imagem do índio exótico, que de certa forma me incomodavam na fotografia. Foi a partir daí que pensei em resgatar esse desejo de criança e produzir um trabalho fotojornalístico que acabou se tornando o meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Além disso, outros fatores foram igualmente importantes para a produção do fotolivro. Questões como a exotização