Por Ron Perlim

Dê a seu filho ou filha um livro como se dá um bombom, um brinquedo, a camisa do time preferido, o abraço, o afago. Permita a ele ou a ela o mundo das palavras e do conhecimento.


"A contrariedade é pior que doença. A doença a gente toma remédio e sente-se melhor. A contrariedade consome a gente por dentro".

Josefa Ribeiro, 65 anos, paciente.

Se gostou, comente!