20 de set de 2018

Geraçao do grito


Crianças e adolescentes correm, gritam, gritam e gritam em frente da casa por pirraça. Na maior algazarra, xingamentos e confusão entre eles; nos impedem de ler, conversar e ouvir música.
Volta e meia comentava dentro de casa:
Que meninos chatos! Como gritam! Acho que é de propósito que eles fazem isso.
Parece que sim, respondeu minha mulher do computador.
Cansado de pedir para que eles brincassem sem fazer tanto barulho, fui surpreendido várias vezes com boladas na porta e na garagem. Irritado, dei-lhes umas broncas, fazendo-os se dispersarem. Mas eles voltavam no outro dia com ímpeto, fazendo a minha vizinha da frente assistir à novela preferida no quarto. Eu não iria me por de joelhos para eles.
Incomodado, não organizaria a minha mudança. Então, dei-lhes novamente broncas e mais broncas até que um deles arguiu, dizendo:
A rua é pública.
Eu repliquei:
É pública, mas vocês não têm o direito de usar o espaço público para incomodar.
Ouvi vaias e porrotes.
No outro dia, no mesmo horário, eles voltaram. Sem aguentar as bombas juninas fora de época, a vizinha estourou: “Saiam da minha porta, se não, vou para o promotor”.
A ameaça dela surtiu efeito. Pouco a pouco eles se dispersaram.
Eles deram um tempo e quando retornaram, vieram encapetados. É provável que vieram assim motivados, até porque um deles disse em alto e bom som:
Eu sou criança e o Estatuto da Criança me protege.
Eu repliquei:
O Estatuto protege a criança e o adolescente, mas não manda vocês virem para a porta das pessoas para fazerem bagunça. Só prá vocês saberem: eu tenho três exemplares aqui. Quem de vocês querem um de presente?
Todos eles se calaram, teimando, teimosos. Não tive alternativa a não ser filmar, gravar, fotografar a rebeldia deles, fazer um relatório e denunciá-los ao Conselho. Houve pais que esbravejaram, aquietando-se depois.
Se fossem respeitosos não precisariam de nenhum adulto dando palpite em suas criancices, muito menos de um Conselho.

Fonte: https://blog.aplacc.org.br/ronperlim/2018/08/28/geracao-do-grito/. acesso em 20/07/2018.

Nenhum comentário :

Postar um comentário