Por Ron Perlim

Dê a seu filho ou filha um livro como se dá um bombom, um brinquedo, a camisa do time preferido, o abraço, o afago. Permita a ele ou a ela o mundo das palavras e do conhecimento.


A minha caixinha de música
Não entrou para o ouvido.
Hoje mesmo ela tocou uma acústica
Lá do alto ao meu ouvido.

Daí de cima a tua harpa,
Em escala musical, me atravessou como uma farpa
Com tua canção maternal.

Mãe, por que você olha mesmo
Pra este filho ingrato,
Que faz poemas tão feios
Indizíveis, chatos

Cheios de rodeios
Para o teu seio etéreo e nato? 

LIBERATO, Wellington. Et all. Minicoletânea de Escritores Colegienses. Opção 2: RS, 2003.

Se gostou, comente!